segunda-feira, 30 de junho de 2008

Um haiku do Mestre Goga

Planto hoje uma muda,
amanhã, duas ou mais,
sonhando com a mata.

H. Masuda Goga

sábado, 28 de junho de 2008

O Haiku é sempre no presente?

O poeta e linguista Paulo Franchetti, lançou uma dúvida numa lista de discussão sobre haiku (haikai-l) se o haiku deveria sempre ter os verbos no presente. Mandei para a lista esta contribuição que compartilho com os meus leitores:~


Paulo e amigos do haiku –l:
Fico centrado na pergunta (ao mesmo tempo estimulante e sapiente) de PauloFranchetti, e segue a minha contribuição:
1. Na sua exacta dimensão temporal, o haiku nunca é presente: é sempreuma reminiscência de um passado. Mesmo que tivessemos um papel e uma canetasempre à mão...O haiku tem sempre algo de “arqueologia de sentimento e deemoções”. Claro que para lhe dar mais verosimilhança o fazemos desfilar numcenário presente mas um presente que à semelhança do tempo verbal se deveriachamar “pretérito presente”.
2. Parece-me que o “pathos” do haikai é o de “um” momento.Pessoalmente é-me irrelevante se foi um momento passado ou se simula ser(porque nunca é) imediato.
3. O processo de “arquivamento” destas emoções, (tal como a sua“reactivação”) contextualiza-as e necessariamente lhes retira a algumaespontaneidade (vemos isto bem nas emendas que fazemos aos nossos haikais).Eu até já escrevi haikai de emoções que nunca senti e só imaginei...
Um abraço para todos.

A inspiração de Leonilda Alfarrobinha no solstício...

solstício de Verão -
uma lua afogueada
espreitando a festa

quarta-feira, 25 de junho de 2008

Castanheiro

O sol vai ficando
nas folhas do castanheiro
até as torrar.

Filosofices VIII

Só em três linhas
a poesia alarga
o grande mundo.

domingo, 22 de junho de 2008

Ontem/ Yesterday

A luz sobe
com a poesia e a música
solstício de Verão.

Nenhuma noite
tem mais claridade que esta
solstício de Verão.

Digam lá se gostam.../ Say if you like...


Comprei algumas gravuras japonesas muito bonitas com cenas de teatro No. Podem ver acima uma das tais... (Para que serviriam elas se mais ninguém pudesse as pudesse ver?)
E a descrição da gravura em inglês:
This woodblcok print is a one of scenery from noh done by well known artist of Noh,Kougyo Tsukioka dated Taisho 14(1925).It is done so beautifully in fill colors with Kougyo's signature and stamp on the bottom.

sábado, 21 de junho de 2008

Solstício

Hoje é o dia
em que a luz entra mais
na noite.

Hoje os pássaros
cantam mais e o sono
vem mais tarde.

Há vida de noite
mas a minha é de dia
hoje tenho um bónus.

Abençoada noite!
já estava cansado
de tanto sol.

quinta-feira, 19 de junho de 2008

Andorinhas

Quem desenha
o vôo das andorinhas
são as moscas.

No lento trânsito... / In the traffic jam...

Um sorriso!!!
Alguém atende um telemóvel
na fila do trânsito.


A smile!!!
Someone answers a celular
in the traffic jam.

quarta-feira, 18 de junho de 2008

Convite e texto de Casimiro Vaz






C.Vaz

21.06.2008

Solstício de Verão



Dependendo de estrelas, planetas,
De seus movimentos e rotação;
Carcavelos saúda o Solstício de Verão.

Com música e poesia e
As ondas do mar por companhia,
Celebram o indiferente cruzar
Das orbitas do Sol e da Terra
Nesse dia.

Despedida

Agora,
que de vez te foste embora,
eu pergunto: E agora?

terça-feira, 17 de junho de 2008

O de hoje... / Today's special

Na areia as gaivotas
e não penso senão nelas
até a noite chegar.

Seagulls in the sand
and I only think on them
till night comes.

Uma história moral

Recolhi da internet e achei que valia a pena ler:

Dois lobos
Certa noite um velho Cherokee falou ao seu neto sobre uma batalha que se trava no interior das pessoas. Disse ele, “Meu filho, a batalha é entre dois ‘lobos’ dentro de cada um de nós.
Um é o Mal. É raiva, inveja, ciúme, remorsos, cobiça, arrogância, auto comiseração, culpa, ressentimento, complexo de inferioridade, mentira, falsa modéstia, e egoísmo.
O outro é o Bem. É alegria, paz, amor, esperança, serenidade, humildade, bondade, benevolência, empatia, generosidade, verdade, compaixão e confiança.”
O neto pensou um minuto e perguntou ao avô: “Qual dos lobos ganha?”O velho Cherokee respondeu simplesmente, “aquele que tu alimentas.”

domingo, 15 de junho de 2008

Um desenho de Ana Oliveira (lindo...)


(Clique na imagem para a tornar maior /Click on the image to make it bigger).

Folha Verde / Geen Leaf

Cai da árvore
uma folha ainda verde.
- Tenho de ir, é tarde!


A leaf still green
falls from the tree.
- It's late, I must go!

Alentejo

Só se ouve
nesta manhã de Primavera
a brisa nas pétalas.

The only sound
in this Spring morning
is the breeze through the petals

sexta-feira, 13 de junho de 2008

Junho / June

No regresso a casa
o carro parece cansado:
tardinha de Junho.

Returning home
my car seems tired:
June's twilight.

quinta-feira, 12 de junho de 2008

Filosofices VI (Depois de /After Picasso)

Tanto tempo leva
para ficarmos jovens
que só lá chegamos velhos.


It takes so long
to be young
that we only get there when we are old.

Filosofices V

Suspeito que tudo
seja tão simples,
que a forma como queremos entender
já mostra que não podemos entender nada.

Filosofices IV

Quanto de mim
pertence à natureza?
O que sobra de quem é?

terça-feira, 10 de junho de 2008

Filosofices III

Há alguma mão
que arranque da terra um cedro
como uma erva?

Filosofices II

Para a borboleta
é uma grande segurança
pousar na folha.

Filosofices...

Natureza e eu:
uma pouco maior que o outro
ambos tão efémeros...

segunda-feira, 9 de junho de 2008

E agora em Japonês...

As pedras das calçadas 歩道の石
como os estilhaços de sonhos ばらまかれた
deixados para trás.       夢の破片

domingo, 8 de junho de 2008

Haiku em movimento

Vôo da gaivota:
meu olhar não o congela
vai com ela.

sábado, 7 de junho de 2008

Entre os Sessenta /Among the Sixty

A revista japonesa "Ginyu" publicou o que considera os melhores 60 haiku de 2007. Entre estes estava um que eu escrevi. Aí vai ele:

Pedras das calçadas
como estilhaços de sonhos
deixados para trás.


The Japanese Journal "Ginyu" published the best 60 haiku of 2007 on its best judgement. Among these 60, one that I wrote:

Stones of sidewalk:
like fragments of dreams
left behind.

sexta-feira, 6 de junho de 2008

Avião II / Plain II

O sol piscou
ah, é só a sombra
de um avião.

The sun blincked
ah, is only the shadow
of a plain.

Um avião / A plain

Pelo chão de erva
corre uma sombra
um avião que passa.


Through the grass
runs a shadow
a plain is passing.

quinta-feira, 5 de junho de 2008

É ou não é?

Isto não é um haiku:
e daí?
(é porque não fala de caqui?)


Mas este é um haiku!
E porquê?
Fala de Inverno, tem kigô!


Quando o haiku
te tentar limitar
manda-o mas é passear!


Pode não ter métrica
o haiku, nem natureza.
Mas sem poesia? Oh que tristeza...


Queria falar de ti
mas só três versos não chegam.
Fico contigo ou com o haiku?


Talto olhei para os kigos
pró presente e se a métrica acertava
que nem sei do que o haiku falava.


É ou não é?
Eu cá não sei...
Mas se mexe contigo... é um haiku.

quarta-feira, 4 de junho de 2008

Mestre Goga

Mestre Goga, um dos expoentes cimeiros da poesia Haiku no Brasil, faleceu há dias com 97 anos. Este poeta deu uma incansável e inestimável contribuição para a divulgação do Haiku em português. Deixo aqui a minha simples homenagem:

Tinha-me esquecido
que deste caqui só fica
a lembrança.


Mestre Goga, one of the most important haiku poets of Brazil, died some days ago with 97 years. This poet provided an outstanding contribution for the dissemination of haiku poetry in Portuguese. Here my humble tribute:

I had forgotten
that from this persimmon
only memory remains.

terça-feira, 3 de junho de 2008

Mariposa / Butterfly

Aquela borboleta
parada ou a voar
nunca perde tempo.


That butterfly
quiet or flying
never waste time.

Musgo / Moss

Musgo de Primavera
o que sobra da voz
de encontro à pedra.


Moss in Spring:
what is left from the voice
against the stone.